domingo, 9 de junho de 2019

O parafuso de 300 milhões de anos que intriga os cientistas russos





Durante o ano de 1998, cientistas russos exploravam uma área de 300 quilômetros quadrados, a sudoeste de Moscou, onde teria caído um meteorito. Neste local, acabaram encontrando um pedaço de rocha que incluía um parafuso de ferro. O curioso é que os geólogos estimaram que a rocha teria entre 300 a 320 milhões de anos.

Nesta época, não havia formas de vida inteligente em nosso planeta. Até mesmo os dinossauros ainda não tinham aparecido sobre a terra.

O parafuso possui cerca de um centímetro de comprimento e cerca de três milímetros de diâmetro. Além disso, é possível identificar claramente a cabeça e a porca. Inicialmente os cientistas pensaram que o parafuso pertenceria a uma máquina agrícola, porém ele estava firmemente preso a rocha. 






Através de estudos e exames, foi constatado que o parafuso estava preso a pedra por um tempo realmente muito grande. Os raios-X revelaram ainda, que existem parafusos semelhantes na rocha, bem como, duas esferas redondas com orifícios quadrados.
 

A descoberta foi estudada exaustivamente em várias instituições científicas. Geólogos, físicos, paleontólogos e mineralogistas descobriram que o parafuso estava no sedimento antes de ser fixado na rocha.

Todos os cientistas que examinara os resultados estão convencidos de que o parafuso foi construído artificialmente e que não é resultado de algum processo físico.

Alguns especialistas cogitaram a hipótese de que o parafuso poderia ser os restos de uma antiga criatura marinha chamada Crinoides. Cerca de 600 espécies de crinoides estão extintas, mas algumas dessas criaturas ainda vivem nos mares.



 O misterioso parafuso fossilizado na pedra poderia ser uma espécie lírio do mar

O designer que trabalhava com Ridley Scott ,o suíço Hans Rudolf Giger, disse ter sido inspirado nos crinoides em muitos de seus projetos para o cinema... 









...


Postagem Anterior
Próxima Postagem
Postagens Relacionadas

0 comentários:

Ocioso